O computador quântico que sabe tudo

O prof. Scott Aaronson, da Univ. de Texas em Austin, é um dos maiores especialistas em computação quântica da atualidade.

Este artigo é sobre um post divertido em seu blog ( https://www.scottaaronson.com/blog/?p=4740)

Ele fora consultado por um jornalista chamado Ben Lindbergh, sobre uma minissérie chamada Devs — um thriller de ação sobre uma companhia do Vale do Silício que desenvolve um computador quântico capaz de reconstruir o passado e prever o futuro.

A missão do prof. Aaronson era comentar sobre a acuracidade dessas afirmações (ahahah).

Ele diz que a série não é sobre computadores quânticos. Este foi apenas um buzzword para fazer o papel de algo que já era conhecido desde a Grécia antiga, o Oráculo de Delfos.

O oráculo era a entidade que predizia o seu destino. Mesmo querendo fugir do destino profetizado, de alguma maneira, ele sempre ocorria no final! (Exemplo: Édipo)

A série contém uma série de outros buzzwords pinçados da teoria e jogados no contexto da trama: criptografia elíptica, algoritmo de Shor, a interpretação do multiverso de Everett, and so on…

Não se espera mesmo acuracidade de uma produção de Hollywood, porém, a questão central continua válida: é possível reconstruir o passado e predizer o futuro? Este é exatamente o conceito do Demônio de Laplace.

O matemático Pierre de Laplace, notando que as leis da física são determinísticas (ou eram, na época), afirmou que se soubéssemos todas as informações (posição, velocidade, temperatura, etc) de todos os átomos do universo e um demônio com poder de computação suficiente, seríamos capazes de reconstruir o passado e predizer todo o futuro…

A resposta (negativa) do prof. Aaronson sobre o tema remete ao caos e complexidade (aquele conceito de uma borboleta no Brasil causar um furacão na Austrália), e do estado da mecânica quântica ser desconhecido até fazer uma medição (que remete ao Teorema da Incerteza de Heisenberg, o original, não o do Breaking Bad).

Uma questão: Será que o computador quântico de ‘Devs’ poderia saber 6 meses atrás a posição de cada vírus em cada célula de cada morcego de Wuhan e predizer todos os contágios, ações do sistema imune de cada pessoa, viagens e movimentações de cada um, teorias da conspiração, Bolsonaros, Trumps e Xi Jinpings, chegando à conclusão de que meio mundo estaria de quarentena hoje?

Bom, segundo a lógica do oráculo, mesmo se soubesse, não adiantaria nada! Estaríamos de quarentena de qualquer jeito!

Comentário adicional:

A história acima me lembra um episódio da série Elementary (inspirada em Sherlock Holmes), em que a bela Lucy Liu é o Watson. Retrato abaixo, para embelezar o post.

Os capítulos têm um padrão: tudo indica para um culpado, depois há uma reviravolta ou duas, e sempre o culpado é outro.

Neste episódio, descobriram que um matemático tinha assassinado outro, e roubado a demonstração de um dos problemas do milênio, o mais importante de todos, o P versus NP!

A motivação do assassino era receber o prêmio de US$ 1 milhão, do Instituto Clay, sobre o desafio.

Cara, isso NUNCA ocorreria. Não por dinheiro. Talvez um matemático matasse um outro pela glória, pela fama de ter o nome escrito na história. Não é o vil metal o motor principal deste tipo de gente — senão, seriam homens de negócio, trabalhariam no mercado financeiro, seriam políticos, qualquer coisa assim. Um exemplo vivo é Grigori Perelman, que resolveu um dos problemas do milênio (Conjectura de Poincaré) e abdicou do prêmio de US$ 1 milhão — e ele vive com a mãe e não tem salário.

Segundo ponto. Já tem umas 200 demonstrações postadas contra e a favor de P vs NP. Todas elas são obscuras, abstratas, difíceis de entender e digerir, mesmo se alguma estiver correta. Demonstrar algo assim não é que nem provar o Teorema de Pitágoras (límpido, claro, preciso). O escrutínio de outros pesquisadores é pesado, falhas são encontradas. O processo demora anos e anos para ser confirmado (vide Andrew Wiles e o último Teorema de Fermat).

Terceiro ponto. Por isso, o assassino teria que ser muito gênio para entender os argumentos de um problema complexo como esse, que vem assombrando as melhores mentes do mundo há décadas. Quem dedica tanto tempo à matemática, não tem tempo de se desenvolver como matador.

Elementar, minha cara Watson!

Deixei de ver a série após este capítulo…

Originally published at http://informacaoquantica.wordpress.com on April 17, 2020.

Project Manager on Analytics and Innovation. “Samurai of Analytics”. Passionate about Combinatorial Optimization, Philosophy and Quantum Computing.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store