É bom ter Platão do seu lado

Durante a atual quarentena, adquiri o hábito de ler 20 min (pelo menos) de um livro de filosofia por dia. O faço logo que acordo, utilizando o método Pomodoro: coloco um timer, e foco atenção total no tema.

Livros de filosofia são densos, difíceis de entender, portanto tamanha concentração. Nos últimos dias, estava lendo Immanuel Kant. Se entendi 10%, foi muito.

Uma das minhas metas é ler todos os diálogos de Platão em um ano. Os livros, já tenho do meu lado.

Platão tem um estilo poético. Os seus Diálogos, com personagens diversos entrando e saindo, lembram uma peça de teatro.

É como se Platão estivesse escrito a sua Odisseia. Sócrates seria Ulisses, numa jornada no mar, enfrentando diversos tipos de monstros (o Cíclope, Circe, as sereias, no caso de Sócrates, os sofistas Menôn, Górgia, Protarco), cada qual em sua especialidade (retórica, política, virtude).

Sobre Górgia, é o diálogo mais interessante que li até agora. Górgia é um aristocrata da época, versado na arte da Retórica.

Tem um momento que Sócrates e Polo (discípulo de Górgia) começam a discutir sobre Poder.

  • Polo defende que o Poder é sempre algo bom.
  • Sócrates, que tiranos e oradores que têm poder, na verdade são os que têm o menor poder.
  • Polo defende que é invejável ter poder. Poder fazer o que pessoas comuns não conseguem. Poder praticar injustiças e não ser punido.
  • Sócrates retruca, não devemos invejar quem não merece. Quem tem o poder e o usa injustamente, é objeto de pena. É um miserável, digno de compaixão.

Durante o diálogo, eles citam um poderoso da Grécia antiga. Imagine um Joesley Batista, um Marcelo Odebrecht, nos dias de hoje. Alguém que enriqueceu com acordos injustos feitos diretamente com a cúpula do governo.

Boa parte dos recursos que foram para os seus projetos (e seus bolsos), poderiam ter destinação diferente, mais nobre, digamos em hospitais e treinamento de médicos, que seriam úteis hoje, uns 10 anos depois. Uma diferença é que Joesley e os outros foram presos e confessaram parte dos crimes.

Imagine uma situação em que o poderoso nunca tivesse sido punido, pelo contrário, estivesse até hoje prosperando. Ele teria a sua fortuna bilionária. Seria responsável por imenso conglomerado (e as vidas que dependem destes). Apareceria continuamente em capas de revistas de business e de fofocas, com as mais belas amantes em sua casa de férias paradisíaca na Tailândia.

  • Polo diz que prefere praticar injustiças do que sofrer injustiças.
  • Sócrates defende que prefere sofrer injustiças, mas continuar ser uma pessoa de princípios, do que praticar injustiças.

Polo prefere ser o poderoso.

Sócrates prefere ser a pessoa virtuosa, mesmo que vítima da falta de hospitais.

Eu e a maioria das pessoas que conheço, sem dúvida alguma, prefere a posição de Sócrates.

Este texto não muda nada na vida das pessoas. Mas é bom saber que uma das maiores mentes de todos os tempos também faria o que eu e a maioria das pessoas que conheço faz: viver uma vida honesta, justa, dentro das leis.

É bom ter Platão do seu lado.

Link na Amazon: https://amzn.to/2MxSjju

Originally published at https://ideiasesquecidas.com on June 5, 2020.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store